Sylicon Valley e Mad Max

Sylicon Valley e Mad Max

Factos:
Bangalore é uma cidade da Índia onde em 2001 viviam 5.7 milhões de pessoas e hoje vivem cerca de 10.5 milhões.
A cidade é considerada a Sylicon Valley indiana, estando nela representados os principais gigantes mundiais na área das Tecnologias da Informação.
A região é abastecida por um sistema de lagos que de 389 passou a 81, dos quais mais de metade têm água contaminada por descargas de lixo tóxico. Um deles Bellandur está tão poluído que por vezes pega fogo. É a isto que se chama “lago poluído” por lá.
A profundidade para a extracção da água aumentou de meros 60m em alguns poços para mais de 300m nos últimos anos.
Problemas:
O abastecimento de água é tradicionalmente uma das funções do Estado (os suspeitos do costume).
A população cresce a um ritmo cujas infraestruturas não conseguem acompanhar.
Em várias cidades da Índia onde ainda há água canalizada dificilmente alguém consegue beber a água fornecida pela rede pública e ficar bem de saúde. Aos “ocidentais” normalmente é aconselhado não abrir a boca no banho e não deixar a água entrar nos olhos (ou demais mucosas). Para esse efeito deve-se usar água engarrafada e mesmo esta tem de ser a cara, não pode ser a barata visto ser pouco melhor do que a canalizada.
Solução:
Para abastecer a cidade com água corrente, que rebenta pelas costuras de trânsito, todos os dias são usados camiões cisterna privados (entre 1000 e 3000, ninguém sabe ao certo) que transportam a água da periferia para o centro.
Os custos por camião, apesar de mais elevados do que há um ano ainda são comportáveis tendo passado de $7.50 para $8.25.
Para dar uma ideia das necessidades, num dos complexos de apartamentos visitado pelo autor do artigo referido, com 1500 fogos, são usados seis fornecedores que transportam 25 camiões por dia.
Realidade paralela:
Enquanto isso a Câmara Municipal continua a cobrar .70c pela mesma quantidade de água, num sistema altamente subsidiado que só muito esporadicamente realiza a sua função. As faltas de água são muito frequentes. Mesmo assim desviar água da rede pública tornou-se uma actividade perfeitamente aceite. Nada como esconder o sol com a peneira…
As autoridades falam de “water tank mafia” para designar os privados que garantem o abastecimento de água minimamente potável à cidade.
Afinal John Galt pode não estar perto mas Mad Max está…
Referência
(1) https://www.wired.com/2017/05/why-bangalores-water-crisis-is-everyones-crisis/
About the author

Bruno Correia