Corretamente Errado – a Simulação Centeno.

Categorias: Economia e Filosofia.
Sections: Artigos.

«Confesso que prefiro conhecimento verdadeiro embora imperfeito (mesmo que deixe muito por determinar e imprevisível) a uma pretensão de conhecimento exato que é provavelmente falsa. » in Hayek. Há dias, o economista socialista Mário Centeno divulgou uma projeção para a economia portuguesa até 2019, onde se mede quantitativamente o impacto macroeconómico das eventuais medidas do PS se este vier a ser Governo. Estas medidas geraram algum sururu na comunicação social e também algum escárnio ceticista devido aos números precisos da estimativa – Mário Centeno prevê, por exemplo, que até 2019 (com o PS a mandar nisto) se criem 207 mil empregos Ler mais

A liberdade de escolha é um mito?

Categorias: Desigualdade, Filosofia, Liberalismo, Liberdade e Traduções.
Sections: Artigos.

A liberdade de escolha é um mito ?            Autor : Emmanuel Bourgerie                                                     05/08/2015 Traduzido de : http://lefrenchlibertarien.fr/2015/08/05/mythe-libre-choix/     O liberalismo funda-se sobre o princípio que as trocas económicas realizam-se de uma forma voluntária], e que cada actor avalia as suas opções antes de escolher uma em detrimento de outra. O consumidor que regateia entre dois legumes no supermercado e o desempregado durante uma entrevista estão os dois numa posição similar. Há aqui um ponto fundamental a ressalvar : ninguém tomará uma decisão que lhe será desfavorável. Se os legumes estão excessivamente caros, o próximo supermercado terá com certeza melhores preços a oferecer.   Ler mais

Porque erram os Físicos (quando se põem a falar de Economia)?

Categorias: Economia, Filosofia e Investimentos.
Sections: Blog.

Na semana passada o “Observador” presenteou-nos com um artigo de um Doutorado em Física que gira todo em redor da incapacidade dos economistas fazerem previsões apuradas. Daí, o autor infere que a Economia ainda é uma ciência num estado muito incipiente – mas que isso vai mudar. E vai mudar porquê? Primeiro, porque agora temos a Internet e esta fornece-nos uma quantidade de dados tal que, agora sim, vamos poder prever realmente a sério; segundo, porque os economistas realmente não usam corretamente o conceito de equilíbrio mas (por uma lógica tortuosa qualquer e incompreensível) mais uma vez a Internet vai Ler mais

Fundamentos da propriedade

Categorias: Filosofia, Libertarianismo e Propriedade.

Sections: Artigos.

Ao falar sobre a democracia neste artigo foram introduzidos alguns dos argumentos a favor do voluntarismo quando comparados com a democracia ou outros sistemas em que a liberdade é coartada. Nele foram dados a conhecer os princípios que alicerçam a filosofia libertária. Eram estes os princípios da não agressão e outros dois que justificam a propriedade. Este artigo pretende, aprofundar o que é propriedade e levantar questões sobre as principais implicações que esta tem na organização de uma sociedade liberal. Como anteriormente, precisamos de definir aquilo que vamos tratar. O que é então propriedade? No priberam os dois primeiros resultados são Ler mais

Viver em Pecado.

Categorias: Filosofia, Impostos, Liberdade, Propriedade e Violência.
Sections: Artigos.

Há dias estava a ver na televisão uma entrevista à Teresa Guilherme e ela referiu-se, a propósito do conceito de felicidade, como sendo esta uma questão eminentemente de consciência – estar bem com a sua consciência – implicando isto uma preocupação, segundo ela, em ter cumprido o que o seu dever de consciência lhe impunha: mas segundo a Teresa a felicidade é mais um alinhamento entre os objetivos pessoais (profissionais, por exemplo) e a realização dos mesmos e menos uma realização perante os olhos da sociedade. Em relação a este último ponto, a Teresa referia a tradição Judaico-Cristã como pairando Ler mais

A DEMOCRACIA, O MOURINHO DO CHELSEA E O VOTO

Categorias: Democracia, Filosofia e Política.
Sections: Artigos.

Concordo que a democracia seja uma ideia terminal. Pelo menos para mim, e, obviamente também, para todos os nossos contemporâneos. No entanto jamais poderemos colocar de parte a existência de cisnes negros, certo? O absoluto é inacessível e o que o futuro nos reserva é uma incógnita. Existem tendências, e neste momento elas indiciam um distanciamento cada vez maior entre eleitos e eleitores, nomeadamente no que concerne à abstenção. Concordo plenamente, e não poderia ser de outra forma, que nós devemos escolher quem nos governa, mas ter esse direito apenas. Participar na sociedade. Somos um animal social e não estaríamos Ler mais

A minoria é melhor que a maioria

Categorias: Capitalismo, Comércio, Democracia, Filosofia, História, Literatura, Política e Socialismo.
Sections: Artigos.

O termo aristocracia vem do grego e a grosso modo significa o governo dos virtuosos. Em grego antigo arete (força ou virtude) e cratos (governo). Se entendermos a palavra arete no seu sentido mais pleno, significa aquele que tem força interior, aquele que possui carácter. Aristocratas são aqueles que se destacam entre os demais em determinada cidade ou grupo. É claro que o termo também foi utilizado para se referir a regentes, dinastias ou qualquer um que tivesse poder, fosse ele económico ou político. A filosofia desde cedo criticou esse uso, apesar de também reconhecer que a linhagem de nascimento, Ler mais

Quis custodiet ipsos custodes?

Categorias: Anarco-capitalismo e Filosofia.
Sections: Artigos.

Mais um texto de Jóni Coelho, a tratar do seu doutoramento, e que o tem levado a investigar sobre uma linha da frente da filosofia política: “Os serviços privados de segurança: uma abordagem rothbardiana“. Deixo uma pequena citação, a bibliografia (útil para quem quiser entrar no tema) e as notas (sou fã de ler as notas), estando o texto completo aqui (pdf): “Introdução Este artigo é sobre Filosofia Política, tendo como objetivo apresentar o Anarco-capitalismo, especialmente como seria a defesa do livre mercado, sem a existência do Estado. Na 1ª parte defino o Estado em Hans Kelsen, Miguel Reale e Thomas Hobbes, na 2ª Ler mais

Em defesa da tradição liberal clássica (em resposta a um texto de Huerta de Soto)

Categorias: Filosofia, Governo, História e Liberalismo clássico.

Sections: Artigos.

São inúmeros os problemas da argumentação de Huerta de Soto sobre o liberalismo clássico, apresentada no texto publicado no site do Instituto Mises – Portugal, sendo de lamentar que para afirmar uma das correntes contemporâneas da Escola Austríaca, porventura, actualmente a mais mediática, se tenha de pôr em causa o liberalismo clássico oitocentista, certamente o único momento histórico em que as ideias liberais foram predominantes e muito bem sucedidas no mundo ocidental. Passo a expor alguns desses equívocos. Em primeiro lugar, a falta de enquadramento histórico. Na verdade, quando se diz que o principal erro do liberalismo clássico está em Ler mais

Do “direito” à difamação, à sua punição: a separação entre a Ética e a Moral

Categorias: Filosofia, Lei, Liberalismo e Liberdade.
Sections: Artigos.

Na longa caminhada de coexistência humana, diferentes visões políticas-ideológicas-filosóficas podem, como exercício de sistematização, reduzir-se a como encaram a separação da Ética da Moral, se alguma. Pessoalmente, distingo assim: Ética (no sentido de Lei): O que se pode “fazer/não fazer” independentemente das considerações sobre dever “não fazer/fazer”. A violação de princípios éticos do que se pode “fazer/não fazer” justifica o uso da violência legal. Se existe alguma justificação para a mediação de um agente que actua com o monopólio territorial da violência (Estado) é o do exercício desta violência protectiva. Moral: O que se deve “fazer /não fazer” apesar de se Ler mais