O Julgamento

Categories: Ambiente, Democracia, Economia, Finanças, Globalização, Governo, História, Impostos, Investimentos, Lei, Liberalismo, Liberdade, Paz, Política, Propriedade, Regulação, and Socialismo.
Sections: Artigos.

Ao contrário da maioria das pessoas que me têm abordado para debater a detenção e do que se vai ouvindo no café e no autocarro, sou dos pouco que conheço que não considera este caso – José Sócrates – o mais importante da justiça portuguesa. Pelo contrário, não o considero o mais importante do ano. O título está reservado para o dia em que acordei com a notícia que aquele a quem apelidavam de “o Dono disto Tudo” havia sido detido. Nesse dia tomei por certo que todo o dominó de favores e apoios estabelecidos em torno do Grupo Espírito Read More

UMA QUESTÃO FRACIONANTE

Categories: Capitalismo, Economia, Governo, Lei, Política Monetária, and Propriedade.
Sections: Artigos.

De entre os defensores e simpatizantes da Escola Austríaca de Economia, na qual este site onde escrevo se revê, nem todos têm exatamente os mesmos pontos de vista. O que nos une passa pelo respeito à liberdade do indivíduo e o seu direito à propriedade e a rejeição da força que viola este direito, tal como a força de Estados autoritários e pervasivos. Um dos temas mais notórios onde existe diferenças de opinião entre os “Austríacos” é o das Reservas Fracionárias (RF). O que significa este termo? Basicamente, é o nome que se dá ao regime em que funciona atualmente Read More

Bonitos, Felizes e Saudáveis – Um esquisso sobre a superficialidade humana.

Categories: Capitalismo and Governo.
Sections: Blog.

Num outdoor das paragens de autocarro o novo anúncio de uma empresa de rent-a-car é ocupado totalmente pela fotografia de um ator português bem-parecido, jovem e elegante, vestido de smoking. O que é que esta imagem tem que ver com o aluguer de carros? Que informação relevante nos dá sobre a empresa? Nil. O objetivo dos publicitários é claramente o de associar uma imagem de elegância à marca. Isto mostra o que os publicitários pensam acerca do funcionamento cerebral da maioria das pessoas– predominantemente  através da associação de imagens, sentidos e emoções. Fazem-se anúncios a automóveis onde o que aparece é Read More

Quão independentes são os bancos centrais?

Categories: Governo, História, Política Monetária, and Traduções.

Sections: Artigos.

Texto de David S. D´Amato, originalmente publicado no Institute of Economic Affairs No rescaldo da crise financeira, há movimentos crescentes nos Estados Unidos e no Reino Unido para abolir os bancos centrais dos respetivos países: a Reserva Federal e o Banco de Inglaterra. E embora esses movimentos sejam habitualmente considerados radicalmente dominados por excêntricos e fanáticos, os seus argumentos merecem uma consideração muito mais cuidadosa do que a que normalmente recebem. Embora a narrativa “mainstream” tenha culpado o “mercado livre” e a “concorrência mortífera” pela crise financeira atual, há muito que não temos nada semelhante a isso. Se o tivéssemos, Read More

Quem Ganha e Perde com a Inflação que o BCE Quer Criar a Partir Deste Mês

Categories: Economia, Governo, and Literatura.
Sections: Artigos.

Na sequência de anúncios recentes pelo Banco Central Europeu (BCE) que iria aumentar significativamente a quantidade de dinheiro na economia da zona euro, através da compra a bancos e outras instituições de títulos financeiros, proponho-me analisar as consequências deste tipo de ação para todos os cidadãos que recebem os seus rendimentos e fazem os seus pagamentos em euros (como é o caso dos cidadãos portugueses). Após os Estados terem gradualmente proibido o uso do ouro como meio generalizado de pagamento, aquele metal deixou de constituir aquilo a que se chama “moeda” e esta passou a ser constituída por dinheiro (notas, Read More

No Estado é mais barato

Categories: Economia, Governo, and Impostos.
Sections: Artigos.

“No Estado é mais barato do que na privada”, disse-me o Manuel que estava a considerar ingressar no Ensino Superior. A lógica do nosso aluno é esta: Se na privada tenho que pagar 4000€ de propinas anuais já na pública pago à volta de 1000€, portanto poupo 3000€ por ano. Por outro lado, diz o aluno, a “reputação” das públicas tende a ser maior. Pudera, digo eu, quando a concorrência (pública) faz ao lado um preço 3000€ menor, como é que as privadas geram rendibilidade para investir em cursos de qualidade acrescida? Como o pai deste aluno é dono de Read More

Porque é que se chama Capitalismo ao Socialismo?

Categories: Capitalismo, Comunismo, Governo, História, Impostos, and Socialismo.
Sections: Blog.

Hoje fui ao Shopping. Como de costume aproveitei para ir a uma das livrarias lá existentes para ver “o que é que estava a dar”. O que estava a dar, para lá de um razoável número de livros de Economia – dos quais uns se propõe resolver os problemas do país e outros resolveriam realmente os problemas do país (como o do Hazlitt) – era “O Capital” de Thomas Piketty. Não li o livro. Isso ficou a cargo do inevitável Paul Krugman (esse intrépido keynesiano) e de um jornalista do “Público” que fez um “review” do mesmo. Ficam aqui algumas Read More

O Livro “O Economista Insurgente”

Categories: Economia, Educação, Governo, Liberalismo, Libertarianismo, Literatura, Política, and Regulação.
Sections: Artigos.

    “O Estado somos nós”. Eis a máxima de muitos economistas (entre outros) que se formaram na Escola da Vida e cuja opinião sobre os economistas formados noutras escolas é que “só percebem de números”. Há qualquer coisa de sagrado, ou místico, quando o Estado é visto desta forma. É uma espécie de panteísmo – o estado tem um bocadinho de nós e nós todos temos um bocadinho de Estado. Como tal, “não toquem no Estado seus neo-liberais (isto é, “Demo”), não toquem no sagrado” – diz o escolástico da Vida quando ouve dizer que tal setor ou empresa Read More

O Salário Mínimo Nacional e a Equação Mágica

Categories: Capitalismo, Comércio, Economia, Governo, Impostos, Liberalismo, Liberalismo clássico, Literatura, and Não Categorizado.
Sections: Artigos.

Y=C+G+I. Eis a fórmula mágica para a riqueza de um país e a prosperidade de todos e cada um de nós. Y é a produção de um país (o PIB), C é o consumo privado dos indivíduos, G são as despesas do Estado e I é o Investimento (quer das empresas quer do Estado). Para uma exposição mais clara do argumento que se segue deixo de fora as exportações e as importações, que também fariam parte da equação. Esta equação diz que o que se produz num país terá três destinos alternativos: ou vai para consumo privado; ou para consumo Read More

REUNIÃO CONSTITUINTE DO INSTITUTO LUDWIG VON MISES PORTUGAL

Categories: Capitalismo, Democracia, Economia, Governo, and Impostos.
Sections: Artigos.

Se a reunião pública que teve lugar no passado dia 19 de Setembro tivesse ocorrido há 50 anos atrás eramos todos presos. Nessa altura não era tolerado que um grupo de cidadão se reunisse num restaurante para denunciar publicamente os abusos do Estado. Por outro lado, hoje paga-se, em percentagem do produto do país (PIB) o triplo dos impostos que o povo pagava em 1960. A taxa de desemprego em 2013 era 7 vezes superior à de 1960; A dívida da administração pública em percentagem do PIB era em 2013 de 129%  contra 16,21%  em 1960. Note-se que este último Read More